Por que para alguns o Home Office está sendo um Pesadelo?

Por que para alguns o Home Office está sendo um Pesadelo?

Tempo de leitura: 4 minutos

Tenho visto e lido muito acerca do caminho que o Home Office tomou, quando o novo coronavírus se espalhou pelo mundo.

No início, para a maioria, esse trabalho era uma novidade e um desafio, assim rapidamente empresas precisaram alocar tecnologia para a residência dos seus colaboradores, e esses da noite para o dia viram seus cômodos se transformando em escritório, e onde antes havia a companhia dos colegas, hoje está a família. No entanto, o que antes era um sonho para muitos profissionais (trabalhar em casa), hoje já está se tornando um pesadelo para aqueles que não tem o perfil ou a estrutura que o trabalho remoto exige, e assim surge a Síndrome de Burnout.

Conforme o site do Ministério da Saúde (www.saude.gov.br):

Síndrome de Burnout ou Síndrome do Esgotamento Profissional é um distúrbio emocional com sintomas de exaustão extremaestresse e esgotamento físico resultante de situações de trabalho desgastante, que demandam muita competitividade ou responsabilidade. 

A principal causa da doença é justamente o excesso de trabalho. Esta síndrome é comum em profissionais que atuam diariamente sob pressão e com responsabilidades constantes, como médicos, enfermeiros, professores, policiais, jornalistas, dentre outros.

Traduzindo do inglês, “burn” quer dizer queima e “out” exterior.”

No meu caso particularmente, já trabalho em home office a quase dez anos, e no meu blog já escrevi muito sobre os pontos positivos, negativos e para quais tipos de profissionais essa modalidade é indicada, e que definitivamente necessita de disciplina e não é trabalho para qualquer um.

Outro problema que os trabalhadores remotos estão enfrentando agora é o isolamento social, a falta do convívio pessoal com os colegas, o que na verdade não é culpa do home office, e sim da pandemia que infelizmente ainda não nos mostrou um prazo para nos deixar.

Antes do coronavírus, além do trabalho em casa era possível sair para um happy hour com amigos, fazer reunião na empresa com colegas, visitar um cliente, levar filhos na escola, visitar familiares, passear no shopping, participar de cursos e palestras ou viajar.

Hoje muita coisa mudou, e empresas e profissionais precisaram se adaptar, e pelo caminho ainda estão fazendo ajustes necessários. E o que está levando muita gente ao stress, é a necessidade de fazer as tarefas da empresa na companhia de filhos que não estão na escola e precisam de atenção e ainda ajudá-los nas tarefas escolares, participar de inúmeras reuniões e treinamentos virtuais que surgiram com os mais variados temas e principalmente a falta de interação social.

Por outro lado, o trabalho remoto está nos mostrando vários exemplos positivos:

  1. Com menos circulação de carros nas ruas, a poluição diminuiu nas grandes cidades. Conforme o portal da revista Super Interessante do dia 17 de abril de 2020, em São Paulo houve uma queda de 50% na poluição do ar.
  2. Nunca valorizamos tanto o abraço e o encontro físico com amigos e familiares distantes, enquanto antes sempre havia a desculpa da falta de tempo.
  3. Empresas estão economizando com estrutura e transporte. Assim, muitas já estão pensando no trabalho remoto permanente. Neste caso, é importante cada empresa avaliar quais são os profissionais que tem o perfil para trabalhar remotamente.

Para encerrar, deixo aqui cinco dicas que podem melhorar o trabalho remoto:

  • Planejar a semana de trabalho. Embora existam softwares específicos, uma agenda física ou uma planilha eletrônica já resolvem.
  • Procurar um equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal.
  • Dividir as tarefas entre urgentes e não urgentes, colocando o foco no que precisa ser entregue no dia.
  • Para aqueles profissionais que não tem condições de trabalhar em casa, tem a opção das empresas de Coworking que oferecem salas individuais (é necessário confirmar se no momento estão atendendo). Outra opção, conforme o portal GaúchaZH do dia 21 de maio de 2020, é a rede de hotéis Accor, que está transformando alguns quartos em escritórios individuais.
  • Para as lives é importante analisar o seu cenário. Para não fazer feio, avise a família que você está numa reunião online da empresa.

O equilíbrio é sempre o melhor caminho, quando necessitamos nos adequar a um novo ambiente, seja em casa ou no trabalho.

Referências:

https://saude.gov.br/saude-de-a-z/saude-mental/sindrome-de-burnout

https://super.abril.com.br/sociedade/quarentena-diminui-poluicao-do-ar-ao-redor-do-mundo/

https://gauchazh.clicrbs.com.br/colunistas/giane-guerra/noticia/2020/05/grupo-frances-planeja-transformar-quartos-em-escritorios-nos-seus-18-hoteis-no-rs-veja-fotos-ckafmypjf00gd015nkjcuzewt.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *